Virei gestor, e agora?

Esta é a primeira pergunta que qualquer profissional da saúde que tinha atuação técnica se faz quando recebe a tão sonhada e porque não, a tão temida promoção ao cargo de gestor.

Até então você era cobrado pela sua atuação, por toda expertise que desenvolveu após anos de estudos, congressos técnicos, muitos plantões e troca de saberes com os colegas e em especial, com os pacientes. Agora será cobrado pelos resultados da sua área, pelo comportamento da equipe, pelas falhas e acertos, por toda gestão, pelo “modus operandi” do serviço, pela eficiência e eficácia, enfim, por uma nova forma de trabalhar. E novamente nos perguntamos o porquê dessa escolha, e não importa se foi por idealismo ou por querermos crescer profissionalmente.

O conhecimento tácito será o norteador, mas a verdade é que percebemos que não é possível ser um líder da saúde sem ter conhecimento de gestão.

Primeiro passo: Mantenha-se atualizado quanto aos conhecimentos da área da saúde, acompanhe as mudanças de procedimentos, regulamentações e tecnologias que surgem. Você não deixou de ser um profissional da saúde. Paralelo a isto, desenvolva a capacidade analítica e gerencial necessária à rotina do serviço, cursos rápidos podem ser um bom caminho. Hoje em dia há diversos treinamentos com foco na gestão da área da saúde, o “Desenvolvimento de líderes na Saúde”, “Gerenciamento de Indicadores” e em especial, o curso “Lean Health Care” e toda metodologia Lean Seis Sigma.

Para finalizar, aproxime-se da equipe, empodere seus funcionários, observe talentos e prepare sucessores. Parafraseando Simon Sinek “100% dos clientes são pessoas, 100% dos funcionários são pessoas, se você não entender as pessoas, você não entenderá os negócios.”